Notícias
| Postado em 07 de novembro de 2019 às 8:55

Bolsonaro e sua moto nova: acertos e infrações do presidente no 1º passeio

Por Redação Portal

Bolsonaro e sua moto nova: acertos e infrações do presidente no 1º passeio
Reprodução/Pedro Ladeira/Folhapress

No sábado passado, o presidente Jair Bolsonaro retirou sua moto nova em uma concessionária de Brasília (DF) e em seguida fez o primeiro passeio com o veículo, acompanhado da equipe de segurança em vias públicas da capital federal. O mandatário postou nas redes sociais um vídeo desse passeio, pilotando sua Honda NC 750X 2020 azul – modelo que tem preço inicial sugerido de R$ 33.980.

De acordo com as fontes consultadas, Bolsonaro adotou práticas corretas de segurança, mas também cometeu pelo menos duas infrações – que juntas renderiam R$ 325 em multas e nove pontos no prontuário da CNH (Carteira Nacional de Habilitação).

Vamos primeiramente aos acertos do chefe do Executivo. Antes de pilotar sua Honda, ele afivelou o capacete, equipado com viseira, e ainda utilizou luvas e jaqueta de couro para sua proteção. Práticas mais do que recomendáveis, na análise dos entrevistados. “Uso de capacete, luvas, calçado fechado e roupas adequadas são coisas que o presidente fez corretamente”, avalia o especialista em trânsito Celso A. Mariano, citando o Artigo 54 do CTB (Código de Trânsito Brasileiro).

Mão fora do guidão é infração grave

Ao mesmo tempo, o mesmo Artigo 54, bem como o Artigo 244 do CTB apontam uma irregularidade cometida por Bolsonaro na ocasião: conduzir motocicleta “sem segurar o guidão com ambas as mãos, salvo eventualmente para indicação de manobras”. Na gravação, o presidente tira a mão esquerda do guidão durante vários segundos para fazer um “joinha” em direção à câmera.

“A conduta de conduzir motocicleta, motoneta ou ciclomotor sem segurar o guidão com ambas as mãos, salvo para indicar manobra, caracteriza infração grave de trânsito prevista no Artigo 244, Inciso VII do CTB. É passível de multa”, explica Marco Fabrício Vieira, assessor da presidência da CET Santos, conselheiro do Cetran-SP (Conselho Estadual de Trânsito de São Paulo) e ex-membro da Câmara Temática de Esforço Legal do Contran.

A legislação caracteriza a prática como infração grave, com multa de R$ 195,23 e cinco pontos na carteira. O “joinha” de Jair Bolsonaro poderia caracterizar uma terceira irregularidade, na análise de Mariano.

“Por ter passado longo tempo acenando para a câmera, poderia ser enquadrado no Artigo 169, que pune quem dirigir sem atenção ou sem os cuidados indispensáveis à segurança”, diz.

Essa seria uma infração média, que prevê multa de R$ 130,16 e quatro pontos no prontuário.

Usar pisca-alerta em movimento não pode

Outra infração cometida pelo presidente da República no sábado, de acordo com os especialistas, foi rodar com o pisca-alerta ligado enquanto era acompanhado por batedores e outros integrantes da equipe de segurança – uma prática que é vetada pelo Código de Trânsito Brasileiro.

Segundo Vieira, a utilização do pisca-alerta somente é permitida em imobilizações, situações de emergência ou quando a regulamentação da via assim determinar, conforme o Artigo 40 e o Inciso V do CTB.

O especialista cita também o Artigo 251, Inciso I, que caracteriza infração de natureza média. “Em tese, a utilização de pisca-alerta em desconformidade com essas regras caracteriza infração de trânsito”, avalia o conselheiro do Cetran-SP.

Fonte
Uol


Tags


Deixe sua reação


Deixe seu comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of

Notícias Relacionadas
DPVAT

Seguradora quer reverter decisão do governo de extinguir Dpvat

De cada 10 veículos na rua, menos de três têm seguro facultativo – mais de 70% transitam...

Dúvidas

Gasolina com água e combustível incolor. O que é mito e verdade?

Quando o assunto é a gasolina que vai para o motor do carro, todo cuidado é pouco. Apesar de todas...

Conversa

FCC oferece tecnologia que permite ‘conversa’ entre carros

A Comissão Federal de Comunicações (FCC) aprovou na última quinta-feira (12) o uso de uma ...

Colunas
Colunas
Colunas
Colunas