Revenda
| Postado em 06 de fevereiro de 2020 às 4:00

Carro usado perde até 20 vezes mais valor na troca do que na revenda

Por Redação Portal

A preocupação faz sentido, já que há modelos que tendem a possuir uma maior depreciação que outros.

Carro usado perde até 20 vezes mais valor na troca do que na revenda
Reprodução

Um dos grandes receios de quem vai ao mercado em busca de um carro para troca é qual será o valor de revenda do veículo que atualmente está na sua garagem.

A preocupação faz sentido, já que há modelos que tendem a possuir uma maior depreciação que outros.

Aqui cabe um parênteses: é necessário entender que depreciação é a apuração de quanto um veículo vale para ser revendido após um determinado período de tempo, levando em conta o valor de um modelo zero-quilômetro e o valor pelo qual o mesmo carro é revendido pelos lojistas. Nada a ver com desvalorização.

Neste sentido, há dois tipos de depreciação: de revenda e de troca. E é neste ponto em que reside a discrepância na perda de valor dos modelos.

Isso porque, quando um carro usado é vendido para um lojista (depreciação de troca), deve-se levar em conta os vários custos do revendedor que interferem no preço a ser pago pelo veículo, tais como impostos, salários dos funcionários e a própria margem de lucro do comerciante.

Estes gastos não afetam o preço do carro quando há uma venda direta entre pessoas físicas (depreciação de revenda), havendo assim uma menor desvalorização do veículo.

Uma pesquisa realizada pela KBB a pedido de QUATRO RODAS revela que alguns modelos chegam a perder até dez vezes mais valor em uma troca que em uma venda negociada diretamente entre vendedor e comprador, sem intermediários.

Um Ford Ka S 2019, por exemplo, tem depreciação de -4,64% na revenda, enquanto sua depreciação de troca é de -51,44%. Uma perda 11 vezes maior.

Já um Chevrolet Onix Joy 2019 apresenta uma depreciação de revenda de 0,96% e uma depreciação de troca de 19,52%, diferença de 20,33 vezes.

Entre os modelos da pesquisa, a menor diferença apresentada foi a do Jeep Renegade Longitude 2019. O SUV compacto tem uma depreciação de revenda de -30,34%, enquanto a depreciação de troca é de -41,22%.

Em todos os casos, cabe-se dizer que, embora seja mais trabalhosa e demande mais empenho por parte do vendedor, a venda direta é sempre mais lucrativa que a troca ou venda para revendedores.

Confira na tabela a diferença entre as depreciações de revenda e de troca de 12 dos principais modelos vendidos no Brasil (seguindo uma média de todas as versões).

Para a obtenção do resultado, foi levada em conta a média das depreciações entre cada uma das versões dos carros.

Fonte
Quatro Rodas


Tags


Deixe sua reação


Deixe seu comentário

avatar
  Inscreva-se  
Notificar se

Notícias Relacionadas
Mais Vídeos
Seja você a mudança que quer para o mundoSeja você a mudança que quer para o mundo
Vídeos

Seja você a mudança que quer para o mundo

Clubinho Honda – Segurança no TrânsitoClubinho Honda – Segurança no Trânsito
Vídeos

Clubinho Honda – Segurança no Trânsito

Em todo o mundo pessoas arriscam a sua vida e dos seus no trânsitoEm todo o mundo pessoas arriscam a sua vida e dos seus no trânsito
Vídeos

Em todo o mundo pessoas arriscam a sua vida e dos seus no trânsito

O uso da bicicleta facilita o trânsitoO uso da bicicleta facilita o trânsito
Vídeos

O uso da bicicleta facilita o trânsito