Notícias
| Postado em 24 de abril de 2020 às 10:07

Crise: Indústria automotiva vai precisar de R$ 40 bi

Por Redação Portal

Falou o presidente da Volkswagen do Brasil

Crise: Indústria automotiva vai precisar de R$ 40 bi
A previsão é reabrir a fábrica de motores de São Carlos (SP) no próximo dia 8

“É uma crise sem precedentes. A história nunca viu o mundo parar todas as regiões e todas as indústrias ao mesmo tempo. A saída não vai ser instantânea”, resumiu o presidente da Volkswagen para a América Latina, o argentino Pablo Di Si, sobre os efeitos da pandemia do coronavírus.

Ele reuniu jornalistas nesta quinta-feira (23), para uma conversa pela internet, onde detalhou os planos de retomada da produção no Brasil a partir do mês que vem, “quando for legal” fazê-lo.

A previsão é reabrir a fábrica de motores de São Carlos (SP) no próximo dia 8, e, as demais, a partir de 18 de maio. Assim como todas as montadoras de carros e motos do país, a Volkswagen parou as linhas em meados de março.

Vice-líder em vendas, a marca já acertou com os trabalhadores a redução de jornada e salários em 30%, por 3 meses, lançando mão da Medida Provisória 936, que flexibilizou as regras trabalhistas temporariamente. Ela também está sendo usada por outros montadoras, como a General Motors, dona da Chevrolet, e a Fiat.

Nesse caso, o governo federal “compensa” parte do salário que o funcionário deixa de receber com um benefício emergencialque terá como base de cálculo o valor mensal do seguro-desemprego a que o empregado teria direito se fosse demitido.

Para Di Si, o setor automotivo vai precisar de R$ 40 bilhões para passar pelo auge da crise, que deve ser estender por junho e julho. Isso, segundo ele, é o equivalente ao que as montadoras investiriam em 3 ou 4 anos.

O argentino e outros executivos da indústria têm conversado com o governo federal e bancos privados para obter esse montante por meio de empréstimos.

“Não (buscamos) dinheiro público”, disse. “E não estamos pedindo para a gente. É para toda a cadeia, para concessionários e fornecedores, os elos mais fracos.”

Segundo o presidente da Volks, as conversas com o governo estão “caminhando bem”, mas ainda não há nada definido. “Se não sair nas próximas semanas, eles (fornecedores e lojistas) não têm como pagar os salários. Estamos falando em quase 1 milhão de empregos”, observou.

Além o ministro da Economia, Paulo Guedes, participam da negociação representantes do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e um “sindicato de bancos” privados, liderado pelo Itaú.

Lideranças do setor automotivo têm criticado o sistema financeiro pela demora em ajudar o setor. O presidente da associação das fabricantes, a Anfavea, chegou a dizer em março que “os bancos estão sentados na liquidez” porque receberam recursos do Banco Central, mas não repassaram.

Di Si também falou sobre o “congelamento” dos investimentos no Brasil, as mudanças no modelo de negócios que deverão ser aceleradas pela crise, entre outros assuntos

Fonte
Auto Esporte


Tags


Deixe sua reação


Deixe seu comentário

avatar
  Inscreva-se  
Notificar se

Notícias Relacionadas
Colunas
Colunas
Por Abimadabe Vieira

Live: Cuidando do Futuro

Colunas
Por Abimadabe Vieira

Live: Acidentes de trânsito

Colunas
Por Abimadabe Vieira

Acompanhe a live

Mais Vídeos
Seja você a mudança que quer para o mundoSeja você a mudança que quer para o mundo
Vídeos

Seja você a mudança que quer para o mundo

Clubinho Honda – Segurança no TrânsitoClubinho Honda – Segurança no Trânsito
Vídeos

Clubinho Honda – Segurança no Trânsito

Em todo o mundo pessoas arriscam a sua vida e dos seus no trânsitoEm todo o mundo pessoas arriscam a sua vida e dos seus no trânsito
Vídeos

Em todo o mundo pessoas arriscam a sua vida e dos seus no trânsito

O uso da bicicleta facilita o trânsitoO uso da bicicleta facilita o trânsito
Vídeos

O uso da bicicleta facilita o trânsito