Notícias
| Postado em 08 de novembro de 2019 às 10:48

Dia Mundial do Urbanismo: remédio para o trânsito

Por Redação Portal

Este dia tem objetivo de ampliar a consciência sobre sustentabilidade e a interação entre comunidade e urbanismo,

Dia Mundial do Urbanismo: remédio para o trânsito
Archdaily

Não é uma tarefa fácil, planejar e propor mudanças para ampliar a qualidade de vida nas cidades, respeitando suas características. Nas metrópoles que sofreram um crescimento desorganizado e possuem poucos espaços verdes e problemas com transporte de massa, o entrave é ainda mais complexo. Com o objetivo de ampliar a consciência sobre sustentabilidade e a interação entre comunidade e urbanismo, a Organização das Nações Unidas estabeleceu 8 de novembro, de 1949, como o Dia Mundial do Urbanismo.

E o Brasil, como vai? Nas cidades brasileiras em geral se abdicou do enfoque urbanístico. O desafio está na integração do urbanismo e mobilidade. Se achamos que a mobilidade irá melhorar apenas expandindo as redes de transporte, continuaremos medicando as cidades com o remédio errado. Antes de tudo, é preciso pensar nos usos que fazemos do espaço urbano. Esse pensamento deu origem a uma sigla, o Desenvolvimento urbano Orientado pelo Transporte (DOT).

Em vários países o modelo DOT já é utilizado nesse sentido, onde as tarifas do transporte passam a ser apenas uma parte dos ganhos promovidos, se comparadas com o potencial urbanístico das áreas de influências dos principais nós da rede de mobilidade. Um bom exemplo é King’s Cross, em Londres, onde uma enorme estação serviu de âncora para a transformação urbana de toda a área ao redor.

As tarefas da vida cotidiana deveriam ocorrer num território compacto, de maior densidade e multifuncional onde os deslocamentos sejam poucos e curtos, feitos a pé ou de bicicleta. E os maiores devem ser feitos usando uma rede transporte coletivo integrada. Perdem sentido as regras rígidas para o uso e ocupação do solo, que separam áreas residenciais e comerciais.

É possível gerar receita a partir do desenvolvimento imobiliário e das atividades econômicas que ocorrem no entorno da infraestrutura instalada para mobilidade, caso das estações e terminais, fazendo a conjunção entre investimentos em transporte de massa e adensamento urbano.

Fonte
Estadão/Editora Unesp


Tags


Deixe sua reação


Deixe seu comentário

avatar
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Judson Reinert
Visitante
Judson Reinert

Considerando as diferenças culturais em nossas cidades, fica muito difícil uma receita padrão para as soluções e projetos da Mobilidade urbana, os estudos estatísticos situacionais são fundamentais para a identificação pontual das necessidades.

Notícias Relacionadas
Agente de trânsito

Bolsonaro inclui agentes de trânsito em novo projeto de liberação de porte ...

O novo projeto de porte de armas enviado ao Congresso inclui os agentes de trânsito nas categorias...

Notícias

MP que extingue o DPVAT é questionada no STF

A Medida Provisória 904 do governo Jair Bolsonaro que dá fim ao DPVAT – seguro obrigatório ...

Recall

Hyundai chama i30 para recall; airbags podem se abrir com impactos em ...

A Hyundai anunciou um recall envolvendo 112.585 unidades do i30 de primeira geração, feitos...

Colunas
Colunas
Colunas
Colunas