Notícias
| Postado em 20 de novembro de 2019 às 3:32

Gaeco investiga direcionamento em edital do Detran

Por Redação Portal

De acordo com o Ministério Público do Paraná (MP-PR), são cumpridos cinco mandados de prisão temporária e sete mandados de busca e apreensão.

Gaeco investiga direcionamento em edital do Detran
Reprodução

Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) deflagrou na manhã desta quarta-feira (20) uma operação para investigar irregularidades em um edital do Departamento de Trânsito do Paraná (Detran-PR) para credenciar empresas responsáveis pelo registro de financiamentos no estado.

De acordo com o Ministério Público do Paraná (MP-PR), são cumpridos cinco mandados de prisão temporária e sete mandados de busca e apreensão.

Segundo o Gaeco, um dos alvos é o ex-diretor-geral do Detran Marcello Panizzi. Também expedidos mandados de prisão contra três servidores comissionados na época do lançamento do edital e um ex-assessor da Governadoria do Estado do Paraná.

Marcello Panizzi foi diretor-geral do órgão de abril a dezembro de 2018.
A operação apura o favorecimento em um procedimento realizado em agosto de 2018. De acordo com as investigações do Gaeco, o processo foi manipulado para beneficiar uma das vencedoras.

As buscas estão sendo realizadas em Curitiba, Maringá e Brasília. Os mandados foram expedidos pela 12ª Vara Criminal de Curitiba.

Até as 7h45, o MP-PR não tinha informado quantos mandados foram cumpridos.

O G1 tenta contato com o Detran e com Marcello Panizzi.

De acordo com o MP-PR, a empresa investigada faturou, entre novembro de 2018 e junho de 2019, cerca de R$ 77 milhões.

O MP informou que a empresa beneficiada realizou o pedido de credenciamento para o serviço 24 horas após a publicação do edital e praticamente monopolizou a atividade por um período, “por ter sido beneficiada no início do processo e ter atuado de modo exclusivo”.

Serviço mais caro
Em julho, um relatório do Tribunal de Contas do Paraná (TC-PR) apontou as irregularidades no processo de credenciamento.

De acordo com o relatório do TCE, o direcionamento no processo de credenciamento deixou o serviço de registro do financiamento mais caro no Paraná.

Em um ofício ao TCE, o Detran admitiu que houve irregularidades no procedimento.

Segundo o MP-PR, o preço atualmente cobrado pelo serviço é de R$ 350, e antes do credenciamento investigado, os custos eram de cerca de R$ 150.
Em agosto, o Detran anunciou um acordo para o credenciamento de uma nova empresa, que diminuiria a taxa para R$ 143.

Dias após o anúncio, no entanto, a Justiça acatou um pedido de liminar da empresa Infosolo Informática, vencedora do processo em 2018, para suspender a redução.

A defesa da Infosolo informou que “a empresa jamais desrespeitou qualquer norma relativa aos procedimentos públicos dos quais participa, e esclarecerá os fatos junto ao Poder Judiciário”.

Fonte
G1 Paraná


Tags


Deixe sua reação


Deixe seu comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of

Notícias Relacionadas
DPVAT

Seguradora quer reverter decisão do governo de extinguir Dpvat

De cada 10 veículos na rua, menos de três têm seguro facultativo – mais de 70% transitam...

Dúvidas

Gasolina com água e combustível incolor. O que é mito e verdade?

Quando o assunto é a gasolina que vai para o motor do carro, todo cuidado é pouco. Apesar de todas...

Conversa

FCC oferece tecnologia que permite ‘conversa’ entre carros

A Comissão Federal de Comunicações (FCC) aprovou na última quinta-feira (12) o uso de uma ...

Colunas
Colunas
Colunas
Colunas