Moto
| Postado em 08 de abril de 2020 às 4:00

Moto parada na quarentena requer cuidados especiais

Por Redação Portal

Com o distanciamento social por causa do novo coronavírus, muitos motociclistas estão deixando suas motos paradas na garagem.

Moto parada na quarentena requer cuidados especiais
Reprodução

Com o distanciamento social por causa do novo coronavírus, muitos motociclistas estão deixando suas motos paradas na garagem. Nestes casos, é bom seguir uma cartilha de providências para na hora de ressuscitar a “companheira” não haver outras surpresas no ritual.

É o uso correto que mantém ativo, lubrificado e operacional os vários sistemas. Quando parada por algum tempo, estes sistemas, peças e componentes, oxidam, entopem, descarregam, racham, desbotam, mancham e trincam, envelhecendo a moto.

Como estacionar a moto por muito tempo
O ideal é estacionar a moto em local coberto, plano e com boa ventilação. Porém, isso nem sempre é possível. Se a moto for ficar em local descoberto, no tempo, cuidado com as capas de proteção.

As capas funcionam como uma estufa que pode danificar o verniz e a própria pintura. A condensação também prejudica os contatos e embaçam o painel. Existem capas impermeáveis, com saídas de ar que amenizam o problema.

Se a moto, ou scooter, possui o cavalete central é melhor utilizar. Se não for possível, é recomendável um suporte para apoiar o quadro (existem no mercado suportes apropriados) para manter um ou, os dois pneus suspensos, sem contato com o chão.

Cuidado com o pneu
Se não for possível estacionar a moto no cavalete central e nem no suporte, utilizando apenas o descanso lateral, calibre os pneus com uma pressão extra.

Se o período de inatividade for mais prolongado, é recomendável a calibragem máxima permitida no manual (como se estivesse com piloto, passageiro e carga) em PSI.

É mais difícil acontecer e requer muito tempo, porém, os pneus em contato com o solo em uma só posição prolongada, podem deformar e “achatar” levemente com perda de pressão. Na hora de rodar, até o pneu aquecer e recobrar a circunferência, o piloto pode sentir uma vibração.

Bateria da moto parada
Antes de estacionar, cheque a carga da bateria. Se não for possível, de uma volta “economizando” carga, evitando utilizar os dispositivos elétricos.

Ao estacionar, desligue a bateria, desconectando o polo negativo (cabo preto), com o cuidado de isolar sua ponta. Este expediente pode ser inconveniente nas motos mais modernas e de maior cilindrada, com sistemas eletrônicos mais complexos e informações de painel que podem ser desprogramados.

Para evitar este inconveniente e preservar a carga da bateria (vital para a partida elétrica nas motos de maior porte), existem pequenos carregadores portáteis “flutuantes” ligados na tomada. Com baixo consumo, eles somente atuam quando a bateria apresenta queda de carga, desligando em seguida.

Combustível
Encha o tanque, se possível, com gasolina premium (Podium da Petrobras, por exemplo). O tanque cheio, reduz o ar (e a evaporação) em seu interior, responsável por provocar oxidação nas partes metálicas. Motos ainda carburadas, devem manter a “torneirinha” do tanque fechada e se possível o carburador seco.

A gasolina Premium, com maior octanagem, tem maior prazo de validade. Isto é, dura mais, mantendo as características. Porém, a evaporação e deterioração, podem gerar depósitos e impurezas, que prejudicam a “digestão” do sistema de alimentação e do motor.

A gasolina premium (o nome comercial varia entre as distribuidoras) também tem menor teor de etanol anidro em sua composição, 25% contra 27% das gasolinas comuns, menos agressivos para a linha de combustível.

Para os modelos com motor do tipo flex, embora, preparados para consumir etanol ou gasolina, também é recomendado abastecer com gasolina premium. É que o etanol combustível, vendido nas bombas, é do tipo hidratado, com maior teor de água em sua composição.

As motos maiores, com maior sofisticação do sistema de injeção, do tanque com sistema de reaproveitamento dos gases e das linhas de combustível mais protegidas, suportam melhor as variações no combustível.

Óleo e lubrificação
O óleo também pode ser oxidado e contaminado se a moto ficar parada por longos períodos. O óleo escorre para o cárter, deixando as partes superiores do motor “secas”.

Por esse motivo é recomendável sua troca antes de estacionar definitivamente, se o período de inatividade (tempo) for inferior à troca recomendada no manual.

As motos de maior cilindrada normalmente estão equipadas com correntes equipadas com retentores (O-Rings), que possuem micro borrachas de vedação. Desta forma, ao fazer a limpeza e lubrificação antes do estacionamento, deve-se evitar solventes e aplicar óleos e graxas específicas.

Os cabos (se a moto não tiver acelerador eletrônico), também devem ser lubrificados para aguardar o tempo passar.

Pintura
A lavagem com água e sabão neutro (evite produtos químicos) antes e depois de guardar a moto, deve ser seguida de uma criteriosa secagem na pintura, cromados e quadro.

Se possível, use ar comprimido para maior eficiência nos cantinhos mais inacessíveis, especialmente em regiões litorâneas, com ação da maresia, ou vapor de sal em suspensão. Nestes casos, a capa de proteção requer ainda maiores cuidados, já que o efeito estufa pode acelerar o processo de corrosão nas partes metálicas.

Como conservar as borrachas da moto
Para conservar as borrachas da moto e evitar o ressecamento proveniente do tempo parado, utilize silicone e evite os desengraxantes e outros produtos químicos. No banco, o hidratante também ajuda a conservar. Nos pneus, nunca use o “pretinho”. Além de atacar a borracha, pode provocar perda de aderência na hora de fazer curvas, depois da hibernação.

Como ligar a moto
Na hora de religar a moto, a operação é inversa. Embora, seja difícil estabelecer com precisão a validade do combustível, se a moto ficou parada mais de seis meses, é recomendável drenar e descartar a gasolina. Sempre em lugar correto.

Após, religar a bateria e funcionar a moto. Nos primeiros momentos em marcha lenta, para que o óleo circule e aqueça. Depois, é “pau na máquina”.

0 0 vote
Article Rating

Fonte
Auto Papo


Tags


Deixe sua reação


Deixe seu comentário

Notícias Relacionadas
Colunas
Colunas
Mais Vídeos
Seja você a mudança que quer para o mundoSeja você a mudança que quer para o mundo
Vídeos

Seja você a mudança que quer para o mundo

Clubinho Honda – Segurança no TrânsitoClubinho Honda – Segurança no Trânsito
Vídeos

Clubinho Honda – Segurança no Trânsito

Em todo o mundo pessoas arriscam a sua vida e dos seus no trânsitoEm todo o mundo pessoas arriscam a sua vida e dos seus no trânsito
Vídeos

Em todo o mundo pessoas arriscam a sua vida e dos seus no trânsito

O uso da bicicleta facilita o trânsitoO uso da bicicleta facilita o trânsito
Vídeos

O uso da bicicleta facilita o trânsito