Notícias
| Postado em 31 de outubro de 2019 às 11:05

Placas do Mercosul: veja o que muda

Por Redação Portal

Desde o começo de 2019 as placas que vêm com um padrão único para o Mercosul já estão sendo utilizadas em determinadas partes do Brasil

Placas do Mercosul: veja o que muda
Divulgação

Desde o começo de 2019 as placas que vêm com um padrão único para o Mercosul já estão sendo utilizadas em determinadas partes do Brasil. Os primeiros testes foram realizados no Rio de Janeiro, mas nos dias atuais já é possível encontrar em alguns estados, com aplicação gradual em outros. Dessa forma, é preciso saber o que muda para 2019 com as placas do Mercosul.

Veículos que precisam se adequar as placas

A grande parte dos veículos não é obrigada a colocar a padronização do Mercosul. Ou, pelo menos, até 2023, data que é convencionada para que todos os automóveis do país estejam em conformidade com o padrão. Todavia, há alguns veículos que precisam, obrigatoriamente. São eles:

1) Automóveis ‘0 km’, ou seja, modelos novos;

2) Quando houve transferência de proprietário e/ou município;

3) Troca de categoria que geralmente é identificada pela cor (como táxis que voltam a se tornar um popular);

4) Placas que precisam ser trocadas, placas danificadas ou ainda não aprovadas.

Novas combinações alfanuméricas

Também muda a sequência de números e letras das placas antigas. Anteriormente, eram três letras e quatro números (AAA 0000, por exemplo). Agora, com as novas placas do Mercosul, além de serem quatro letras e três números, a sequência muda – será, exemplificando novamente, AAA 0A00. Isso permite 450 milhões de combinações contra 150 milhões do sistema antigo, que já estava atingindo seu teto.

Outro ponto é que os países têm autonomia para escolher como será feita a distribuição. Isso ajudará, principalmente, na identificação da placa de cada país – além da bandeira nacional que aparecerá no canto superior direito. Quem já tiver um carro emplacado, manterá o padrão e trocará o segundo número por uma letra. ‘A’ corresponderá a ‘0’, ‘B’ a ‘1’, ‘C’ a ‘2’ e assim sucessivamente até ‘9’ representar ‘J’.

Outras mudanças

A cidade e estado das placas brasileiras serão identificadas apenas por um código QR no canto superior direito. Ou seja: não haverá como as pessoas saberem do local de procedência – apenas com a leitura do código pelos órgãos responsáveis. O país, como dito, terá a bandeira e o nome na parte superior da placa.

As cores que identificavam a categoria e ficavam ao fundo da placa, agora serão ‘pintadas’ nas letras. O preto é um automóvel particular; azul é oficial; vermelho é comercial; laranja é diplomático; verde é especial; e roxo é de colecionador. Dessa forma, continua o padrão antigo, mas muda a configuração das cores.

E o que não muda?

Sabendo o que muda para 2019 nas placas do Mercosul, é importante frisar duas coisas que continuam a mesma: o preço para o emplacamento e do próprio objeto de identificação, além das dimensões das placas. Por fim, vale lembrar que as leis de trânsito seguem as mesmas e, apesar da facilidade de viajar pelo Mercosul, é preciso ficar atento para não sofrer com infrações em países que têm outra legislação.

 

Fonte
Transitto


Tags


Deixe sua reação


Deixe seu comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of

Notícias Relacionadas
Recall

Hyundai chama i30 para recall; airbags podem se abrir com impactos em ...

A Hyundai anunciou um recall envolvendo 112.585 unidades do i30 de primeira geração, feitos...

DPVAT

Seguradora quer reverter decisão do governo de extinguir Dpvat

De cada 10 veículos na rua, menos de três têm seguro facultativo – mais de 70% transitam...

Dúvidas

Gasolina com água e combustível incolor. O que é mito e verdade?

Quando o assunto é a gasolina que vai para o motor do carro, todo cuidado é pouco. Apesar de todas...

Colunas
Colunas
Colunas
Colunas