Arrecadação
| Postado em 04 de dezembro de 2019 às 2:53

Projeto criado por adolescente de 13 anos arrecada bicicletas para comunidade atingida pela lama

Por Redação Portal

Ao todo, mais de 200 bikes já foram arrecadadas e serão entregues em Areal, no dia 14 de dezembro.

Projeto criado por adolescente de 13 anos arrecada bicicletas para comunidade atingida pela lama
Reprodução/ TV Gazeta

Idealizado por uma adolescente de 13 anos, um projeto está arrecadando bicicletas para crianças e adultos de uma comunidade de Linhares, no Norte do Espírito Santo, que foi afetada pela lama de uma barragem da Samarco. Ao todo, mais de 200 bikes já foram arrecadadas e serão entregues em Areal, no dia 14 de dezembro.

A ideia surgiu em dezembro do ano passado, quando a adolescente Marina Cunico esteve na comunidade de Areal. Ela, que já se envolveu em vários projetos sociais desde criança, contou que está sempre tentando fazer o bem, e que depois de ver uma mulher em uma bicicleta velha carregando três crianças, decidiu que tentaria fazer a doação para os moradores.

“Ano passado eu vi uma mãe com uma bicicleta cheia de crianças. Então tive a ideia de deixar uma bicicleta para cada criança e todo ano a gente deixa alguma coisa de recreação para a comunidade”, explicou.

A ação se chama “Bike do Bem” e tem como objetivo promover o lazer e também contribuir para o transporte da criançada. Através de doações, mais de 200 bicicletas já foram arrecadadas.

A coordenadora de um dos projetos dos quais Marina participa contou que a ideia foi abraçada pela população e superou as expectativas.

“Nós montamos essa parceria para destinar todas as bicicletas que fossem recolhidas e que fossem arrumadas para lá. Só que o projeto tomou uma dimensão muito maior e a gente acabou aumentando a expectativa. E o projeto ficou do tamanho que está hoje, enorme”, disse Viviane de Carvalho.

Nem a mãe de Marina, Fabiana Franco, que já estava acostumada com as ideias da filha, acreditou que a iniciativa daria tão certo.

“Eu não consegui imaginar como ela ia conseguir fazer isso. E ela disse muito calmamente: ‘Mãe, fique tranquila, isso vai acontecer’. Essa fé que a Marina tem move as pessoas”, disse.

Se a bicicleta estiver quebrada, não tem problema, pois voluntários fazem o devido conserto para a doação. A oficina de Thaís Siqueira é uma das parceiras do projeto.

“A gente pega cinco bicicletas por semana que eles trazem para a gente. A gente conserta, põe para rodar de novo, eles buscam, e dão a destinação para o projeto deles”, explicou.
Além de Marina, a campanha também está sendo promovida pela Federação Espírito Santense de Ciclismo (FESC), a Oficina Bicicletaria e Girassóis Ações Solidárias.

Quem não puder doar uma bicicleta pode ajudar custeando parte do conserto das peças. “A gente tem os parceiros, que são oficinas de bicicleta, elas subsidiaram o conserto das bicicletas. Com o valor mínimo de R$ 30 reais você consegue adotar uma bike e ela é reformada”, explicou a mãe de Marina.

“É importante ajudar o próximo. Eu faço responsabilidade social desde pequenininha porque gosto, me sinto bem, é a maneira que me sinto feliz”, finalizou Marina.

Fonte
G1


Tags


Deixe sua reação


Deixe seu comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of

Notícias Relacionadas
Capotagem

Homens roubam residência, tentam atropelar policial e capotam carro durante fuga

Dois homens foram presos em Pinheiros, na zona oeste de São Paulo, nesta terça-feira (10),...

Recall

Volkswagen Tiguan e CC têm recall por defeito no airbag

A Volkswagen anunciou nesta terça-feira (10) o recall de Tiguan e CC por possível defeito ...

Marcha

Velocidade baixa e marcha alta não é combinação ideal

Quando está dirigindo seu carro com uma marcha mais alta, quarta ou quinta, em velocidades...

Colunas
Colunas
Colunas
Colunas