Notícias
| Postado em 08 de novembro de 2019 às 7:27

Sete pessoas são presas por fraude de mais de R$ 100 milhões no Detran

Por Redação Portal

Sete pessoas são presas por fraude de mais de R$ 100 milhões no Detran

Sete pessoas foram presas por corrupção, lavagem de dinheiro e desvio de recurso do Departamento Estadual de Trânsito de Goiás (Detran). Denominada Cegueira, a operação cumpriu, na manhã desta quinta-feira (7), 55 mandados de busca e apreensão: 32 contra pessoas e 23 contra empresas. Crimes foram cometidos na gestão anterior, entre 2014 e 2015 e resultaram em fraude de mais de R$ 100 milhões, segundo a Polícia Civil.

Ex-presidente do Detran, João Furtado, não foi alvo de prisão, como este portal noticiou anteriormente, mas de mandado de busca e apreensão (ver errata ao fim do texto)

As investigações da Polícia Civil (PC) e Secretaria de Segurança Pública (SSP) apontam que foram obtidos mais de R$ 100 milhões entre 2015 a fevereiro de 2019, por meio de superfaturamento e reajustes ilegais. O valor teria sido resultado de fraude em processo licitatório realizado pelo Detran em 2014 para o serviço de vistoria veicular. A apuração mostrou diversas ilegalidades no procedimento, entre elas, critério indevido de julgamento de propostas; direcionamento na confecção do edital e ausência de audiência pública, bem como irregularidades relacionadas à habilitação da empresa Sanperes.

Até o momento, foram apreendidos 16 veículos e uma motocicleta, obras de arte de artistas renomados, como Antônio Poteiro, relógios de luxo e uma grande quantidade de dinheiro que ainda está sendo contabilizada. O balanço da operação será apresentado, às 15 horas, logo após inauguração da sede do Grupo Especial de Combate à Corrupção(GECCOR), da Polícia Civil, no Setor Aeroviário.

Prisões

Entre os presos está o dono da Sanperes, Daniel Ganda dos Santos, e outras seis pessoas. O ex-presidente do Detran, João Furtado foi alvo de busca e apreensão. Em nota, a defesa de João afirmou ver com perplexidade a determinação de busca e apreensão na residência do ex-presidente do Detran, visto que ele foi o responsável por requerer as investigações em 2015. Segundo o texto, o investigado prestou depoimento no ano em questão e respondeu todos os questionamentos.

“Todas essas questões serão enfrentadas no âmbito judicial, onde será demonstrado que João Furtado não possui qualquer vinculação com atividade e ou fatos ilícitos, pelo contrário, por onde passou, sua conduta sempre foi pautada pela retidão”, diz documento.

Também por meio de nota, a empresa Sanperes disse que foi surpreendida com a abordagem de agentes da PC que atuaram na Operação Cegueira. Conforme o texto, a empresa e os sócios não foram intimados para nenhum ato jurídico anterior.

“Trata-se de uma arbitrariedade perante a empresa, que sempre atuou dentro da legalidade, prezando pela ética e honestidade em suas atividades. A Sanperes e seus sócios possuem conduta ilibada reconhecidamente em todo o Estado de Goiás. O corpo jurídico da empresa irá tomar as providências cabíveis dentro da legalidade, buscando a apuração dos fatos e a efetivação da justiça, além de atuar no sentido de contribuir com o bom andamento do processo”.

Fonte: emaisgoias

Fonte



Deixe sua reação


Deixe seu comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of

Notícias Relacionadas
Identificação

Novas regras para motoristas de aplicativos

A partir de 30 de janeiro, os motoristas de aplicativo de Campo Grande, precisarão identificar...

Semáforo

Lei permite avanço no sinal vermelho durante a madrugada

Multas em infração de trânsito por avançar ao semáforo com indicação de sinal vermelho  ...

Projeto de Lei

CCJ aprova fim da exigência de apresentação de CNH para comprar veículo ...

A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania da Câmara dos Deputados  aprovou projeto...

Colunas
Colunas
Colunas
Colunas